domingo, 7 de novembro de 2010

terça-feira, 7 de julho de 2009

À descoberta na Roménia


Desde o início que a minha mente estaria longe de imaginar que iria para a Roménia, muito menos para Calarasi….


Quando cheguei perguntei-me diversas vezes o que fazer neste pequeno recanto deste imenso país… divagando de passeio em passeio, pedra em pedra, fui descobrindo este pequeno mundo e avançando mais além…

Uma pequena cidade e grande aldeia, perdida no infinito de campos pincelados de branco em tempos, agora, perdida num vasto quadro de “Monet” um pouco mais pitoresco e singular mas com a mesma cor.

Calarasi, cidade capital do concelho de Calarasi, a sudeste da Roménia, está localizada a poucos quilometros da fronteira com a Bulgária e encontra-se sobre um braço do longo Danúbio e ao longo de um Lago. Tendo sido documentada pela primeira vez em 1593, durante o reinado de Mihai Viteazul.


Num sorridente dia de sol é possível dar uma simpática volta no parque, apreciando a calma água do lago que corre em torno deste, fazer uma visita ao zoo e saborear um belo sumo natural na esplanda de madeira afecta ao complexo desportivo ali existente. Para quem gosta de um pouco mais de emoção pode sempre ir até ao cais e numa barca remar até ao Museu de Arquelogia.

Há que partir assim à descoberta de um país desvalorizado mas riquíssimo em paisagens, história, cultura e actividades radicais…

Entrar no carro raspar o gelo ou retirar uns bichinhos espalmados que parecem multiplicar-se no vidro pode ser o início de uma verdadeira aventura…

Partimos então em direcção ao Norte. Com 100km de percurso até a capital, Bucareste, percorremos a estrada nacional onde é possivel apreciar as modestas casitas…num pequeno desvio podemos visitar um mosteiro e uma igreja que reza a lenda que a sua cruz cresce todos os anos!


Chegados à imponente cidade de Bucareste, que nos anos 30 se auto intitulava com a “Pequena Paris”, vale a pena perdermo-nos no grande contraste da zona moderna e do centro velho de ruas estreitas. Nos anos 80 foi feita uma grande reconstrução continuando esta a ser uma cidade de parques, agradável, envolta em verdura, com cafés abertos sobre as calçadas durante o Verão

e barcos de recreio em lagos e rios que a atravessam.

Em plena Praça Unirii a imensidão desta avenida que se desenvolve até a celebre Casa Poporului, parlamento, convida a um belo e ilustrado passeio a pé. Começando na eclética mistura de estilos arquitéctonicos, uma igreja Patriarcal, Catedral, movida há anos pedra a pedra de local impossibilitando que a sua imagem transmita a sua forma original, descendo até ao parlamento e continuando pelas entranhas das ruas de esplanadas e da grande Calea Victoreie onde em cada esquina se esconde um pedaço de património…Museu nacional de história, de arte, Palácio Postei, bancos, o velho Ateneu romano.

Num acto mais relaxado seguimos até um dos grandes espaços verdes, o Lago Herastrau. Deparamo-nos em caminho com o Arco do Triunfo, do impressionante Sosea Kisseleff, este maior que o dos Champs Elyses, e com um belíssimo museu de arquitectura popular e artesanato ao ar livre.


Antes de rumar até ao Norte não pudemos recusar uma visita a um dos pontos máximos de entretenimento cultural e disfrutar do mesmo…a Ópera..arrepiante! Cheios de fome um dos restaurantes mais antigos da cidade, de culto e valorização patrimonial, “Caru cu Bere” proporcionou-nos a verdadeira ceia, seguida de um melódico cocktail no “eleven”, espaço minimalista e cara de muitos videoclips.

O raiar do sol já vai alto e seguir viagem é imperativo. Rumamos agora em direcção as montanhas…destino…Transilvânia!!

Pelas estradas caricatas começamos a desbravar a montanha, onde em Sinaia se vislumbra o famoso castelo palácio Peles, da família Hohenzollern Sigmaringen (s.XIX). A cidade toma o nome de um antigo Mosteiro,com referência ao bíblico Monte Sinaí, em cujas proximidades o rei Carol I da Roménia construiu este palácio de verão.

Já por terras romanticas da Transilvânia e atravessando a densa floresta rompem vales e riachos cristalinos, eis que se depara mesmo diante do olhar o lendário e de historia tumultuada, o castelo medieval (s.XIV) que foi, num momento, propriedade do avô de Vlad, conhecido como “Drácula”, em Bran. O tempo urge mas o passeio pedestre, a equitação e o esqui são tentações!

Depois de uns estonteantes trambolhões e desequilibrios instala-se um vazio no estômago que nos leva a Brasov, na Praça Sfatalui envoltos de esplanadas e de uma bela Catedral negra um simpático romeno proporciona-nos um menu de deuses… Não satisfeitos com toda esta monotonia há que saber mais sobre o Drácula! Por estradas e estradinhas, entre carros e carroças as placas levam-nos até aos Cárpatos Translivanos. Sighisoara, cidadela medieval (Património da Humanidade pela UNESCO), o “castrum Sex” de origem romana, ocupado pelos saxônios no s.XII, numa mistura de estilos e influências: gótico, renascentista e barroco. Nesta que é a cidade natal do Conde Vlad Tepes, Conde Drácula, destaca-se a Torre do Relógio, séc XIV, de 64m.


Invertendo a marcha, rumamos a Sibiu onde passar a noite será uma dádiva!! Cidade construída pelos alemães, guarda um ambiente medieval e moderno, com ruas pavimentadas e casas coloridas, foi capital europeia da cultura em 2007.
Embalados por esta pomposa cidade que nos remete a outro tempo seguimos pelas Montanhas de Fagaras, as maiores da Roménia, na esperança de as puder atravessar em direcção a nossa mui nobre casa em Calarasi.

Este País tão peculiar é capaz de surpreender!!.. no mesmo dia pode ser Verão e Inverno !!…

terça-feira, 10 de março de 2009

Primeira semaninha...

Uma vez acordados, com a luz ofuscante do primeiro amanhecer... os romenos tem um grave problema com a escuridão... e a capcidade protectora à luz das cortinas que eles utilizam é algo de muito inexistente...

Passeio por Bucuresti... Boots lá até a Embaixada comunicar a nossa tão digna presença...



Atrevessando a famosa Praça Unirii...




Ainda em recuperação da neve...



Já no metro...cheio de povo... há que sair na Plaza Victoriae (ou lá como é que se diz...)

Como não poderia deixar de ser...escolhemos a rua errada... mais uma voltinha mais um passeio loool



















Andando andando lá demos com o sitio.. esta casinha que agora se segue... na entrada da zona nobre de bucareste e embaixada, a caminho do grande lago, pertence ao grandioso presidente de um clubezinho da capital...como principais pontos de atracção desta casinha tão singela temos os pormenores a ouro e o jogo de luzes, visivel à noite, temporizadas...muito a frente o senhor...


Ah pois é...para quem quer e pode loool
Em busca do pedacinho de terra Portugues em Bucareste, viramos em todas as ruas menos na correcta...direcções e instruções...se eles não sabem imaginem nós...
A comitiva que se delsloca fulgorosamente até território neutro e Luso alcança finalmente a dignissima Embaixada de Portugal. Trimmm, pluft.."Bemvindos"...uma voz com um timbre forte de português sonante..
Preenchidos os papéis e recepcionados pelo próprio embaixador foram introduzidos alguns temas de conversa caricatos e interessantes da nossa cultura nesta cultura tão mista que é a cultura latina e romena...
Cheios de fome e de volta aos nossos trilhos somos interpelados por um telefonema que nos altera todos os projectos para tão formoso dia...
Querem-nos levar para Calarasi.. a seguir ao almoço... Em busca do backoffice da Martifer, empresa que acolhe alguns de nós, e de malas as costas, vejo-me dentro de um taxi com um taxista que de ingles pesca pouco e da cidade menos ainda... trocas e baldrocas de informaçoes e explicações...chegamos ao nosso primeiro destino.. um edificio todo catita..
Recebidos por um dos chefes vamos almoçar com os restantes elementos da equipa e ouvir descrições da "terrinha" que nos aguarda...
Na viagem uma paragem estratégica... lehliu..local onde está implantada a obra na qual trabalho...A fábrica de apoio á Prio..
Um tempo mais tarde..depois de lama, neve, escorregadelas, betão e metálicas seguimos até a nossa nova casa..
Uma casinha acolhedora em Calarasi..
Cidade com caracteristicas de vila, no meio do nada, a 100km de Bucareste... Apesar da sua imagem, comporta um considerado numero de habitações e habitantes..
Nos restantes dias, e sem nada a assinalar, deu-se o instalar e desempacotar de bagagem, bem como a tão expectada ida ao supermercado e o inicio da dureza laboral...

Era uma vez...

Perdoem-me a minha ausencia...mas com o tico e o teco ainda em desfazamento lunar torna-se complicado colocar todas as minhas ideias e pensamentos em papel...falar fazer gestos voces conhecem-me...aqui não dá... lol

Ora bem carissimos...

Dia 19 de Janeiro'09

00h

Para que não me falte nada, e, num ritmo mutio descontraido, foi a Diana, bem acompanhada, tomar a sua ultimo coca colinha em terras lusas, no requintado Vintage..

De pano de fundo, neste cenário, esteve um homonimo da Ana Carolina e Seu Jorge...é isso ai...meus caros...num luzir de fundo...ofuscava o Gladiador...e eis que de viagem próxima a Diana é invocada a ir cantar..qualquer coisinha...meus amigos sem o poder do karaoke é insustentável lool..

A hora passa e o tempo de dormir e retocar a mala começa a escassear... Ai Ai vamos lá pa casinha!!

Zzzzzzzzzzz......

Alvorada!!!

Siga a viagem para o aeroporto Francisco Sá Carneiro...na grande cidade invicta!!!

De malas as costas e a fazer apostas de excesso de peso passei com sucesso o teste de quantidade!!! (ahah o resto foi mais tarde de camião)

Eis que após todas estas etapas me encontro com o meu companheiro de viagem João Machado..
e siga para a salinha..umas quantas caras conhecidas com diferentes destinos começam a observar com um certo ar desconfiado...eu conheco-te...

Ah pois...somos mais que muitos...nós a caminho da Roménia outro de Espanha e ainda Grécia...

Acontece o grande momento entramos no avião...já no ar não se passa nada...aterramos..
Chegados a Madrid, a terra de nuestros hermanos, chega a hora de mais umas despedidas e a hora do almoço... yupi!! que fome... paira no ar a pergunta se para onde vamos a comida presta...

Duas palavras no pensamento...Que medo!!! kakaka

Depois de muitos passeios e compras no cultural aeroporto de Barajas aproxima-se a hora de novamente embarcar... Mas onde é? ah é por ali..Siga...oh temos que ir de comboio...faltam menos de 30 min para o embarque...no placar diz que o trajecto demora 22 e estamos a espera do train??? ups!!

Espanhois amigos aprendam a fazer contas...nem 12/14 min demoramos em todo o trajecto...

Escusado é que como bom aeroporto de barajas, este não me podia deixar mal...e atrasou o voo!!!

E naquele fim do mundo de terminal nem um cafezinho aberto...e nos que nos esquecemos da tão maravilhosa sande de presunto...

Chegou a hora...Embarcando...tarom plane here we are!!

Mais uma vez...sem nada de novo...mentira...a comida começou logo por ser horrivel...eu e o john a chorar o presunto...na tv..sim tinhamos direito...uma programação excepcional...um filme com derivados romenos, de um estilo algo musical e comédia... Terrorifico!!! As palavras acertadas...

Enfim no mapa aparece 10 km de bucareste...eheheheh estamos a chegar!!

Mais uma vez em terra, desta vez Romanaskas, ha que percorrer o "enorme e sumptuoso" aeroporto Otopeni... Demoramos cerca de 5 min até pegar na mala? com fila para o BI?? quase que nos perdiamos eheheh

Mesmo atrasados conseguimos chegar primeiro a porta que os nossos queridissimos colegas do c12 que fizeram a amabilidade de nos ir buscar e instalar nas suas mui nobres casas!! (sim eles estavam no carro no parque...que com sorte é maior...)

Uma calorosa recepção e viagem pelo centro de Bucareste as 23.59h representam os momentos que se seguiram, com uma breve conversa sobre experiencias, planos, revelações...e...fica para o próximo capitulo...

Ah e já chega de diarios pelo menos até a data...Algo talvez mais semanal para actualizar a minha preguiça!!

Pupici

Pa pa